Conselho aprova tombamento de 10 terreiros no recôncavo baiano

Parecer do Conselho Estadual de Cultura argumenta que tombamento é melhor alternativa para proteger bens

Salvador (Brasil) – O Conselho Estadual de Cultura da Bahia aprovou, por unanimidade, um parecer da Câmara de Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Natural, que solicita o tombamento e o registro especial de 10 terreiros de candomblé em Cachoeira e São Félix, no Recôncavo Baiano. A decisão foi divulgada após sessão realizada na quarta-feira (17).

Em nota, o Conselho informou que o parecer é resultado de uma solicitação do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultura (IPAC), para que fosse feito o registro especial desses espaços como patrimônio imaterial. No entanto, a Câmara “decidiu que o tombamento é a melhor alternativa para garantir a proteção desses terreiros e a conservação dos seus espaços físicos”.

Segundo o Conselho, o registro especial proposto aos terreiros prevê a preservação dos aspectos simbólico-culturais. O órgão explica que a medida zela pelos bens imateriais, como as manifestações populares. Já o tombamento é voltado para a preservação física dos espaços, “para bens culturais materiais, como imóveis e obras de arte”.

Confira a relação dos terreiros contemplados no dossiê analisado pelo Conselho Estadual de Cultura da Bahia: Terreiro Humpane Ayomo Huntólogi, Terreiro Viva Deus ( Asepó Eran Opé Olúwa), Terreiro Aganju Didê,  Terreiro Raiz de Ayrá, Terreiro Ilê Axé Ogunjá, Terreiro Lobanekum, Terreiro Ogodô Dey, Terreiro Dendezeiro Incossi Mukumbi, Terreiro Ilê Axé Itayle e Terreiro Labanekum Filha. | Fonte: Racismo Ambiental

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply