Jovem que ofendeu goleiro Aranha vai fazer curso de educação racial

Porto Alegre (Brasil) – A partir da prócima segunda-feira,  a jovem Patrícia Moreira passará a integrar a organização  Central Única das Favelas, em Porto Alegre. A jovem que ofendeu o goleiro Aranha, do Santos, em jogo na Arena do Grêmio em 28 de agosto, pela Copa do Brasil, inicialmente realizará um curso de educação racial e formação social, apoiada pela instituição.

O objetivo, segundo a coordenação estadual da Cufa, é orientar a torcedora de 23 anos “sobre os problemas e efeitos colaterais de atitudes racistas na sociedade”. Nesta quinta-feira, uma nota oficial foi emitida pela organização em sua página na internet.

No curso, Patrícia terá acesso a autores como Nelson Mandela, Martin Luther King e Malcom X, além de publicações nacionais da Cufa, que foi criada a partir da união entre jovens de favelas do Rio de Janeiro, principalmente negros, que buscavam espaços para se expressarem.

– A instituição resolveu incorporá-la, pois mesmo envolvida em um ato racista durante uma partida de futebol teve sua residência queimada, familiares espancados e diversas ameaças de morte. Parte desse ônus estava recaindo sobre a comunidade negra e periferia gaúcha – diz a nota da Cufa, publicada hoje em sua página.

Na nota, a CUFA- RS diz acreditar que Patrícia Moreira também é “consequência de anos de descaso com a história e cultura negra. O não cumprimento da Lei 10.639 faz com que muitos jovens como Patrícia, não conheçam o valor da pele negra e sintam-se a vontade em proferir palavras racistas”.​

A entidade disse que entende também, que é “de extrema importância que Patrícia responda por seu erro perante a justiça. Porém para nós é mais importante que ela adquira consciência e promova o respeito”.​ Fonte: CUFA-RS

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply