Região norte brasileira concentra 66% da população parda

Brasilia (Brasil) – O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lançou hoje (6) o Mapa da Distribuição Espacial da População segundo Cor ou Raça – Pretos e Pardos, para contribuir com a elaboração de políticas públicas a esse segmento da população.

A novidade em relação aos dados anteriores sobre o tema é que o mapa traz o detalhamento da distribuição de pretos e pardos dentro dos municípios.

“A vida do cidadão acontece no município, então as principais políticas precisam ser pensadas de acordo com a distribuição da população neles. Podemos assim verificar se há coincidência entre o fator racial e uma solução ou um problema para a sociedade, temos condição de fazer análise sobre segregação socioespacial, áreas de vulnerabilidade, nível de emprego, distribuição da violência urbana”, explicou o assessor técnico da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Artur Sinimbu.

cartazete-iiiconapir

O mapa da distribuição espacial da população por cor foi apresentado dutante a CONAPIR

 

De acordo com o mapa do IBGE, em termos relativos, Serrano do Maranhão é o município com maior número de pretos e pardos, seguido do município baiano de Terra Nova. Em termos absolutos, São Paulo lidera a lista seguido pelo Rio de Janeiro. “O mapa também oferece dados de acesso à educação, saneamento básico e trabalho. Dessa forma, os dados sobre informações socioeconômicas podem ser vistas conjuntamente com essa distribuição espacial”, informou o geógrafo do IBGE, José Antônio Sena.

O mapa usa dados do Censo 2010 e mostra que 43,1% da população brasileira se declarou parda. O maior percentual desse contingente estava na Região Norte (66,9%) e na outra ponta está a Região Sul (16,5%). Os dados revelam ainda que, 7,6% dos entrevistados se declararam pretos e o maior percentual estava no Nordeste (9,5%). A Região Sul registrou o menor percentual (4,1%).

O mapa é uma parceria entre o IBGE e a Seppir. O lançamento foi feito na 3ª Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial. |Fonte: Agencia Brasil

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply